RSS

Arquivo de etiquetas: Escola Secundária de Sá da Bandeira

Sá da Bandeira – patrono da Escola

1Patrono Redonda

O infame tráfico dos negros é certamente uma nódoa indelével na história das nações modernas (…). Emendar pois o mal feito, e impedir que mais não se faça, é dever da honra portuguesa (…).” 

Marquês de Sá da Bandeira – O trabalho rural africano e a administração colonial

Humanista acima de tudo, e por isso determinou futuros. Homem de ideais, político de causas,  assumiu a ética da liberdade enquanto bem universal e direito de todos os Homens – eis a personalidade de quem orgulhosamente ostentamos o nome: 

Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo, marquês de Sá da Bandeira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na Biblioteca, evoca-se o ilustre patrono com  o livro

– documento do mês de outubro – 

O trabalho rural africano e a administração colonial:

SáBandeira000 

 

 

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 11 de Outubro de 2017 em Bibliotecando, Cidadania, Memória, UNESCO

 

Etiquetas: , , , ,

174 anos

174 anos

O século XIX ditou o princípio, no Seminário.

O século XX  determinou outra casa, no planalto de S.Bento, a mirar Tejo e lezíria, olhar o além para lá das colinas.

O século XXI foi de renovação, amarelo maduro a impor-se na vista ao longe.

Casa de janelas enamoradas da  paisagem sem fim, como sabedoria nunca alcançada, caminho nunca findo para o conhecimento, o Liceu é a referência de gerações.

Hoje é o primeiro dia de uma data para brilhar – ao encontro do número perfeito, o sete, bodas de prata sete vezes, 175 anos! Tempo de orgulho em prata e ouro, este nosso caminho até 11 de outubro de 2018!

Parabéns à Sá da Bandeira!

 

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 10 de Outubro de 2017 em Bibliotecando, Memória

 

Etiquetas: , , , , ,

Imagem

Setembro – recomeço

InícioAnoLetivo16-17

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 1 de Setembro de 2016 em Bibliotecando

 

Etiquetas: ,

Plantar árvores, atitudes sustentáveis

“Devíeis ensinar aos vossos filhos o que nós ensinámos aos nossos: que a Terra é nossa Mãe. Tudo o que acontece à Terra acontece aos filhos da Terra.” – afirmava o Chefe Seatle em 1854.

No século XX, Carl Sagan dirá que o ‘Pálido Ponto Azul’ – a Terra – é o “único lar que conhecemos”.

Na Sá da Bandeira, Escola Associada da UNESCO, a Biblioteca, a Direção e a turma 10º A, assumem como seus os  Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

No Ano do Entendimento Global – Construindo pontes entre os pensamentos globais e as ações locais  – concretizámos o nossa ação sustentável, em colaboração  com a Quercus.  Contribuímos para a reflorestação de uma mata nacional com a plantação de três árvores autóctones numa Área protegida.

 

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Sá da Bandeira – um ilustre do século XIX

Bernardo de Sá Nogueira,  o homem à frente do tempo – 

era o  humanista cuja visão poliédrica foi determinante

para transformações políticas e sociais decisivas na sociedade portuguesa.

No dia da Escola, a Biblioteca mostra o mapa de Angola,de 1863 – documento do mês – testemunho da ação  intelectual do político que então desempenhava o cargo de Ministro da Guerra.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 11 de Outubro de 2015 em Bibliotecando, Cidadania, Memória, UNESCO

 

Etiquetas: , , ,

Sá da Bandeira, patrono da Escola

Sá da Bandeira – O português mais ilustre do seu século

No aniversário do patrono da Escola, a Biblioteca mostra um objeto único –

o mapa de Angola, coordenado pelo ainda Visconde de Sá da Bandeira, enquanto Ministro da Guerra.

Mais do que o  político liberal que lutou pela liberdade de um país e das pessoas,

Bernardo de Sá Nogueira foi o humanista cuja ação determinou futuros. 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo, 1º Barão, 1º Visconde e 1º Marquês de Sá da Bandeira, nasceu em Santarém em 26 de Setembro de 1795 e faleceu em Lisboa no dia 6 de Janeiro de 1876.

Sá da Bandeira, “o português mais ilustre do seu século”, segundo as palavras de Alexandre Herculano, ingressou na carreira militar com 14 anos, tendo desempenhado papel fulcral em todos os momentos difíceis que o país atravessou. Destacou-se, no entanto, na Guerra Civil de 1832-1834 pela sua coragem, honradez, tenacidade e clarividência. O valente militar foi merecendo sempre, e cada vez mais, a confiança do imperador D. Pedro e do exército. Foi durante o comando de tropas que, no sítio chamado Alto da Bandeira, na Serra do Pilar, Sá Nogueira foi ferido com uma bala no braço direito que originou a sua amputação. A 4 de Abril de 1832, Sá Nogueira foi agraciado com o título de Barão de Sá da Bandeira.

Enquanto cidadão, a nobreza de carácter, a frontalidade, o empenho que dedicava às causas públicas e a confiança que inspirava, juntamente com uma cultura vasta, inteligência fina, o respeito pelas instituições, pelas leis, pela soberania nacional e a afabilidade de trato fizeram dele uma referência fundamental da sociedade oitocentista.

Quanto ao político Sá Nogueira, evidenciam-se dois aspectos fundamentais na sua prática de governante: o desprendimento do poder, apesar de ter sido cinco vezes Presidente do Conselho de Ministros, dezoito vezes Ministro efectivo e dezasseis vezes Ministro Interino. Foi também enquanto político que o Marquês de Sá da Bandeira empreendeu aquela que se pode considerar a mais nobre das suas tarefas: a abolição da escravatura, em 1869. Tal facto, conferiu-lhe a projecção universal que o tornou um símbolo da liberdade, do humanismo, da igualdade entre os homens e do respeito pelo próximo. 

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 26 de Setembro de 2015 em Bibliotecando, História, Memória, UNESCO

 

Etiquetas: , , , , , ,

 
%d bloggers like this: