RSS

Arquivo de etiquetas: Paz

Paz – Desporto – Desenvolvimento

A 6 de abril de 1896 foram oficialmente inaugurados

os primeiros Jogos Olímpicos da era moderna.

Em 2013,  a ONU instituiu este dia  para celebrar o desporto

enquanto oportunidade de construção e prática de valores,

que conduzam ao diálogo e ao desenvolvimento.

O desporto une, inclui, equaliza, desenvolve, com lisura e honestidade –

este é o espírito olímpico e desportivo.

banner sport 2016 drupal en

Mensagem da Diretora geral da UNESCO

Que papel pode hoje ter o desporto hoje na construção da paz e de sociedades inclusivas? Este dia internacional oferece uma oportunidade para defender os valores essenciais de partilha, respeito mútuo e autoaperfeiçoamento que encarnam o espírito do desporto.

O desporto traz-nos valores positivos e torna possível promover uma cultura de diálogo através das fronteiras – a história do desporto demonstrou o seu poder para quebrar preconceitos, para pavimentar o caminho e promover movimentos, esforçando-se para alcançar os direitos e a dignidade dos indivíduos, dando-lhes uma audiência global.

O desporto é um poderoso veículo para a inclusão social, a igualdade de género e a capacitação de jovens, com benefícios que são sentidos muito além dos estádios. Com efeito, os valores adquiridos no e através do desporto – como o desportivismo e o espírito de equipa – são de valor inestimáveis para toda a sociedade.

Portanto, é vital, proteger o desporto como um espaço de educação e respeito, para salvaguardá-lo da fraude e dopagem que minam a ética desportiva e a saúde dos atletas. Apraz-me que os Estados-membros da UNESCO adotaram a nova Carta Internacional de Educação Física e Desporto, em novembro de 2015. A Carta revista estabelece os princípios éticos e padrões de qualidade para garantir a participação de todos no desporto, marca um importante passo rumo a um mais justo, mais inclusivo e mais tolerante ambiente desportivo. Também precisa de garantir apoio para todos aqueles homens e mulheres no mundo que mostram o seu compromisso de cada dia, como voluntários e profissionais, para fomentar o espírito do desporto como uma infinita fonte de renovação e vitalidade para as sociedades.

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Abril de 2016 em Bibliotecando, Cidadania, Desporto, UNESCO

 

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

E se fosse eu?

Fazer a mochila e partir. Cercado de angústia e guerra, ser racional. Saber escolher. Trazer apenas o essencial. Depois, caminhar, caminhar. Tentar chegar a lugar seguro. Sentir a hostilidade de quem nos sente como ameaça. Sentir o conforto de quem nos acolhe como irmãos.

Porque há uma guerra que nos atinge a todos;

porque há uma PAZ que nos espera a todos!

E se fôssemos nós ter de fazer a mochila e fugir precipitadamente?

Refugiados

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Abril de 2016 em Cidadania, Memória, UNESCO

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Paz, Escola,Não Violência

 

Respeito,  cooperação, solidariedade, não violência,  paz:

 alunos, pais, professores,  toda a sociedade, 

por uma Escola  e uma Vida de afetos e com qualidade.

ViolênciaGNR

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 4 de Fevereiro de 2016 em Bibliotecando, Cidadania, UNESCO

 

Etiquetas: , , , , ,

Dia Internacional da Não Violência

Não existe um caminho para a Paz. A Paz é o caminho.

Ganghi

Mahatma Gandhi

ODE À PAZ

Pela verdade, pelo riso, pela luz, pela beleza,
Pelas aves que voam no olhar de uma criança,
Pela limpeza do vento, pelos actos de pureza,
Pela alegria, pelo vinho, pela música, pela dança,
Pela branda melodia do rumor dos regatos,

Pelo fulgor do estio, pelo azul do claro dia,
Pelas flores que esmaltam os campos, pelo sossego dos pastos,
Pela exactidão das rosas, pela Sabedoria,
Pelas pérolas que gotejam dos olhos dos amantes,
Pelos prodígios que são verdadeiros nos sonhos,
Pelo amor, pela liberdade, pelas coisas radiantes,
Pelos aromas maduros de suaves outonos,
Pela futura manhã dos grandes transparentes,
Pelas entranhas maternas e fecundas da terra,
Pelas lágrimas das mães a quem nuvens sangrentas
Arrebatam os filhos para a torpeza da guerra,
Eu te conjuro ó paz, eu te invoco ó benigna,
Ó Santa, ó talismã contra a indústria feroz.

Com tuas mãos que abatem as bandeiras da ira,
Com o teu esconjuro da bomba e do algoz,

Abre as portas da História,

deixa passar a Vida!

 

Natália Correia, in Inéditos (1985/1990)

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 30 de Janeiro de 2016 em Cidadania, Literatura, Memória, Poesia, UNESCO

 

Etiquetas: , , , , , ,

Memória

Memória0

Dia Internacional da Lembrança do Holocausto

perpetua a memória  de todos quantos morreram,

vítimas de ideais que não queremos ver renascidos.

Memória

  Na Biblioteca, há títulos que mostram a Literatura  como  testemunho inequívoco da História – para que a memória não se apague!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Etiquetas: , , , , ,

Há Natal na Biblioteca

Urge tentar a serenidade, a calma, 

procurar a Paz que é nossa por direito e urgência

quando a circunstância nos cerca de inquietude, vingança, raiva, morte.

Este ano, o Natal da Biblioteca é feito de branco e azul:

uma árvore branca no chão, como nascida da terra, ao alcance de todos,

frutada de azul, tocada pelo dourado das estrelas que o céu concede.

Na LUZ, a Família e o Menino que nos trouxe o conceito que tardamos, ainda hoje, a gravar na nossa alma: cada um de nós pode ser a PAZ do Outro e, dando as mãos, do Mundo!

BOAS FESTAS!

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 10 de Dezembro de 2015 em Bibliotecando, Cidadania

 

Etiquetas: , , ,

Ciência, Paz, Desenvolvimento

Dia_Mundial (1)

Nós, os participantes da Conferência Mundial sobre Ciência para o Século XXI: um Novo Compromisso, comprometemo-nos a envidar todos os esforços no sentido de promover o diálogo entre a comunidade científica e a sociedade, a remover toda e qualquer discriminação relativa à educação para a ciência e aos benefícios da ciência e a agir de forma ética e cooperativa, no âmbito de nossas responsabilidades específicas, para fortalecer a cultura científica e sua aplicação pacífica em todo o mundo e para promover o uso do conhecimento científico para o bem-estar de todas as populações, em prol de uma paz e de um desenvolvimento sustentáveis, levando em conta os princípios éticos e sociais ilustrados anteriormente (…).

Declaração sobre a Ciência e a Utilização do Saber Científico

Declaração de Budapeste, 1999

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 10 de Novembro de 2015 em Bibliotecando, Ciência, Cidadania, UNESCO

 

Etiquetas: , , , ,

 
%d bloggers like this: